8 de maio de 2016

[Resenha] Para todos os garotos que já amei - Jenny Han

"Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou - cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos. 
Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar."


Compre aqui 

Lara Jean é uma adolescente de 16 anos. Mora com o pai e as duas irmãs  - Margot e Kitty - e ao longo do tempo desenvolveu o hábito - talvez terapêutico - de escrever cartas para os garotos que amou. São cinco ao todo. Um dia, na escola, um dos seus ex-amores vai falar com ela na escola sobre coisas que estão escritas na carta. Coisas que só ela sabia. Lara Jean fica confusa e Peter lhe mostra a carta que ela escreveu há anos atrás. Ele diz que recebeu naquela manhã, pelo correio. Então ela começa a juntar as peças e percebe que todos os garotos também receberam suas respectivas cartas. Inclusive Josh, o namorado de sua irmã Margot.  
Josh a procura para pedir esclarecimentos. mas ela inventa uma história para fugir da conversa, e é aí que a confusão começa. 

Esse era um dos livros que figurava na minha lista de desejados no Skoob.  Também fazia parte do meu desafio literário desse ano. A cada resenha que eu lia sentia mais vontade de conhecer essa história. E me apaixonei por ela! Senti vontade de abraçar o livro várias vezes. Amo histórias que envolvam cartas e diários. Deu até vontade de voltar a escrever. Quando li a sinopse achava que a história seria diferente do que é. Pensei que Lara Jean era uma garota bobinha, muito sonhadora e que as cartas eram declarações de amor. Mas na verdade ela é uma garota divertida, pé no chão, que tem medo de se envolver com alguém e as cartas são cartas de despedida. São escritas quando ela não quer mais estar apaixonada. 

"Você sabe como é gostar tanto de alguém que é insuportável saber que essa pessoa nunca vai sentir a mesma coisa por você? Provavelmente não. Pessoas como você não precisam sofrer por esse tipo de coisa. Ficou mais fácil depois que a Gen se mudou e nós deixamos de ser amigas. Pelo menos eu não precisava mais ouvir sobre vocês." 

O problema das cartas é que são muito sinceras. Contém emoções profundas e sentimentos intensos. Por isso ela se desespera quando descobre que foram enviadas. A grande preocupação de Lara Jean é que Margot descubra que Josh, o namorado de sua irmã mais velha, recebeu uma dessas cartas. Ela se apaixonou por Josh antes dele e sua irmã terem alguma coisa. Mas Lara Jean nunca contou nada à irmã. Margot se tornou a "chefe da casa" depois que a mãe delas morreu e ela não quer que a irmã pense que foi traída, mesmo que ela e o cunhado nunca tenham se envolvido dessa forma.  

Para que ele desista de conversar sobre o conteúdo da carta, ela inventa uma história maluca envolvendo um de seus ex-amores, Peter Kavinski. Peter é o garoto mais popular da escola. É bonito, faz parte do time de Lacrosse da escola e foram amigos na infância. Ele topa a maluquice de Lara por que também será conveniente para ele. A partir daí eles passam a se conhecer melhor e ambos percebem que as aparências e os esteriótipos enganam - e muito! 


A história é escrita em primeira pessoa e possui uma narrativa um pouco diferente das que estou acostumada. Nessa história, Lara Jean começa contando os fatos para depois descrever as pessoas. Mas Jenny Han fez isso de forma perfeita e acredito que conseguiu transmitir a história como queria. Tudo é compreendido facilmente. 

As páginas são amareladas e a fonte é um pouco pequena, mas nada que atrapalhe a leitura. Os personagens são muito bem construídos e cada um tem uma importante função na história. Kitty é a irmã caçula e pentelha, esperta e as vezes chantagista. Ela consegue qualquer coisa que queira; Já Margot é a irmã mais velha e perfeita, o modelo de Lara Jean. Lara sofre muito quando ela se muda para a Escócia para cursar a faculdade; Josh é o vizinho e melhor amigo fofo e protetor. Dá para entender por que Lara Jean se apaixonou por ele; Peter é o típico garoto rico e popular, mas vai nos surpreender ao longo da história, pois ele não se resume a isso. É bem mais que um rostinho bonito.

O final da história deixa aquele gostinho de quero mais e não vejo a hora de ler a continuação. Espero que seja tão boa quanto o primeiro livro. Me contem se leram essa história e o que acharam dela. Beijos e até a próxima!

"Está começando a fazer sentido para mim. O motivo de ele sustentar uma mentira dessas, o motivo de passar o tempo com uma pessoa como eu. Não é para poder esquecer Gen. É para não esquecer. Eu sou a desculpa dele. Só estou guardando o lugar de Genevieve para ela. Quando entendo isso, todo o resto começa a fazer sentido."